Breaking News

Chefe da delegação da União Europeia em Moçambique visita Beira



A Chefe de Cooperação da Delegação da União Europeia em Moçambique, Isabel Faria de Almeida, visita esta quinta-feira, dia 25 de Abril, a Cidade da Beira, no contexto da coordenação dos esforços de reconstrução pós ciclone Idai e cheias, para fazer a ligação entre a resposta da União Europeia através da Ajuda Humanitária e Protecção Civil e a Avaliação de Necessidades pós-Desastres, PDNA.
Este mecanismo é conduzido pelo Governo de Moçambique, em parceria com a União Europeia, as Nações Unidas e o Banco Mundial e visa, essencialmente, mobilizar instituições e recursos para harmonizar e coordenar a resposta pós-crise.
Na Beira, a Chefe de Cooperação tem agendado encontros com o Governador da Província de Sofala, Alberto Mondlane, o Presidente do Conselho Municipal da Beira, Daviz Simango, e representantes do INGC.

Estes encontros irão permitir uma melhor compreensão do impacto nas áreas afectadas e preparar a sua reconstrução sustentável, reforçando, ao mesmo tempo, a parceria entre o governo e parceiros de cooperação na garantia de resiliência face a desastres similares.
Como parte desse exercício, está prevista a participação na abertura do Curso de formação sobre a Avaliação de Necessidades pós-Desastres, a que se seguirá uma visita acompanhada pela Equipa da União Europeia (ECHO) ao Hospital da Beira e ao Hospital de Campanha italiano, que é parte das Equipas Médicas de Resposta Rápida dos Estados-membros da União Europeia.
Sobre a visita, a Chefe de Cooperação afirmou que a visita é "uma oportunidade para acompanhar a realidade no terreno pois isso vai ajudar-nos a coordenar não somente a recuperação física em termos de infra-estruturas e recursos, mas também em termos da resposta imediata e eficaz a eventos climáticos severos como foi o caso do ciclone Idai".
Quando o ciclone Idai afectou a região centro de Moçambique a 14 e 15 de Março, a União Europeia accionou, a pedido do Governo de Moçambique, o Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia para prestar assistência às vítimas.
O Centro de Coordenação de Resposta de Emergência está no terreno desde 20 de Março, garantindo a implementação da ajuda prestada pelos vários Estados-membros da União Europeia.
Para a assistência humanitária, a Comissão Europeia disponibilizou um total de 15.75 milhões de Euros aos três países afectados: 9.25 milhões para Moçambique, 4.5 milhões para o Zimbabwe e 2.1 milhões para o Malawi.
Ajuda disponibilizada no terreno: 4 equipas médicas de emergência; 2 sistemas de purificação de água; uma equipa de comunicação via satélite; um módulo de salvamento com recurso a barcos; mais de 400 membros do pessoal de apoio vindos da Europa; 2 equipas da Protecção Civil da União Europeia; 3 peritos em ajuda humanitária da Direcção Geral da ECHO; €9.25 milhões em ajuda humanitária; €3.8 milhões solicitados para transporte co-financiados através do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia; mais de 600 itens de apoio imediato às vítimas; e 41 mapas de satélite Copernicus. (RM)

Sem comentários